Significado dos nomes

 

A Ford já é conhecida pela diversidade na origem dos nomes dos seus carros. A Ranger, por exemplo, vem do inglês e significa patrulheiro, definindo as aplicações da pick-up com versatilidade para trabalhar em asfalto ou terra. Já o Fiesta é espanhol e significa festa, sendo que nos Estados Unidos o nome ficou Fiesta, para se adequar à pronúncia local. Mondeo é uma corruptela do francês monde (mundo) e a criação serviu para facilitar a pronúncia em vários países e ser o carro mundial da Ford. Da astronomia veio Taurus, que é a constelação de Touro, e a Ford foi buscar o nome Ka na mitologia egípcia, que significa o espírito que se aloja nas pessoas para garantir força.

 

Quando recebemos a notícia de que teremos um filho, a primeira pergunta é: como ele se chamará? Alguns pais chegam a demorar nove meses para decidir algo que terá de agradar em um primeiro momento, só a eles. Agora, imagine escolher o nome de um carro que precisa agradar milhares de pessoas, em muitos casos de países e culturas diferentes.

 

O Ka - palavra que significa o essencial, a alma e o nome de um deus egípcio; aqui réplicas do Ford Ka (1998) e Street Ka (2003) em escalas 1:43

Quando a Ford começou produzir o Fiesta na fábrica de Valência, Espanha, o feito foi uma Festa; aqui o Fiesta em dois momentos: 2002 (primeira foto) e 1998 (foto acima)

 

O processo do nascimento

O estudo para a elaboração do nome se inicia com meses ou anos de antecedência em relação ao lançamento do modelo. "Cinco anos antes de o EcoSport chegar ao mercado, já estávamos pensando no nome, e levamos dois anos para essa escolha", afirmou Luiz Salém, ex-diretor de marketing da Ford do Brasil.

Na maioria das empresas, o setor responsável por todo o desenvolvimento do nome é o departamento de marketing, mas em algumas montadoras, a engenharia de desenvolvimento de produtos também está inserida nesse processo.

 

O Ford Mustang (este de 1964, em escala 1:18) teve seu nome originário do cavalo selvagem e do bombardeiro da Segunda Guerra Mundial P-51 Mustang 

 

A pesquisa

Todas as empresas têm uma lista de nomes patenteados. Ao nascer um projeto, esta relação é acessada para que os nomes em potencial sejam selecionados. Ela é grande, por isso passa por uma intensa triagem na qual são escolhidos por volta de 10 nomes. Após a pré-seleção, o consumidor entra em cena. É formado um grupo fechado de pessoas que não têm nenhuma relação com a empresa para terminar o processo. São elas que irão ajudar os responsáveis a definir o nome do futuro modelo. Outras montadoras, como a Fiat, preferem deixar esse trabalho restrito aos departamentos apenas.


A escolha

Após todo o processo de pesquisas para escolher o nome, o departamento de marketing deve levar em consideração vários fatores: ele precisa estabelecer um link com o modelo; tem de ser uma associação, se não direta, ao menos indireta, com o produto; e ter uma facilidade de memorização - que ajudará na fixação da marca. Se não bastasse tudo isso, é preciso que o nome também represente os princípios da montadora. Há também o investimento em comunicação - se o nome for difícil, a empresa terá de gastar mais dinheiro com publicidade. Por exemplo, quando a Ford lançou o novo Fiesta, apesar de ser um carro completamente diferente do antigo, optou por manter o mesmo nome, pois já era conhecido pelo público e não seriam necessários gastos elevados com publicidade.

Combinar esporte e ecologia com sensação de liberdade - eis a proposta do nome Ecosport (este modelo em resina de 2013)

O companheiro ou acompanhante: apresentamos o Ford Escort (este de 1984)

 

O batismo

Mesmo com o nome definido, ainda há uma nova fase que envolve os mercados onde o modelo irá circular. Os que são específicos para o Brasil podem receber nomes locais, Já os modelos que serão vendidos em vários países devem ter nomes neutros.

A Ford já é conhecida pela diversidade na origem dos nomes dos seus carros. A Ranger, por exemplo, vem do inglês e significa patrulheiro, definindo as aplicações da pick-up com versatilidade para trabalhar em asfalto ou terra. Já o Fiesta é espanhol e significa festa, sendo que nos Estados Unidos o nome ficou Fiesta, para se adequar à pronúncia local. Mondeo é uma corruptela do francês monde (mundo) e a criação serviu para facilitar a pronúncia em vários países e ser o carro mundial da Ford. Da astronomia veio Taurus, que é a constelação de Touro, e a Ford foi buscar o nome Ka na mitologia egípcia, que significa o espírito que se aloja nas pessoas para garantir força.

Nomes famosos

MUSTANG - raça de cavalo selvagem

MAVERICK - cavalo selvagem
ECOSPORT - esporte e ecologia
EXPLORER - explorador
GALAXIE – galáxia

ESCORT - acompanhante.
FIESTA - festa.
KA - é a força vital, o que se preserva após a morte. Ou, no sentido que a Ford quis dizer, apenas o básico, a alma. Também é o nome de um dos deuses do antigo Egito.
RANGER - patrulheiro

CORCEL - Raça de cavalos selvagens

 

Fonte: Imprensa Ford

 

Mais uma raça de cavalos selvagens deu origem ao nome de mais um famoso da Ford: o Maverick (este um GT de 1975, escala 1:43)

Patrulheiro que se preza, encara qualquer trilha: Ford Ranger (este de 1994, escala 1:18)

Um explorardor para asfalto e terra: o Ford Explorer (este de1997)

Ford Pinto 1971 (escala 1:25) - o nome Pinto sugere erroneamente uma conotação erótica; mas não é nada disso; Pinto ou Paint (para os cowboys americanos) ou Pintado (de sangue espanhol) era uma raça de cavalos trazidos para a América pelos espanhóis, no Século XVI; este subcompacto foi produzido pela Ford de 1970 a 1980, e foi retirado de comercialização por causa de problemas de segurança que ocasionaram incêndio em algumas unidades; na época, o carro veio para concorrer com o AMC Gremlin; um dos grandes idealizadores do modelo foi o então dirigente da Empresa Lee Iacocca (também mentor do Ford Mustang), demitido em virtude dos problemas no automóvel

Olha aí a variante de bela, a Belina (réplica em resina), uma versão perua do Ford Corcel que fez sucesso nos anos 70 e início dos 80

 Com a mesma velocidade de um cavalo Corcel, as vendas do nosso Ford Corcel, no Brasil, atingiram um milhão de unidades em 18 anos de produção, o que confere a esse cavalinho o status de um dos carros mais queridos e vendidos em terras tupiniquins ;aqui um Ford Corcel 1976 (escala 1:43)

Nos anos 90, a Ford queria ganhar o mundo, ao apresentar o seu primeiro carro mundial - o Ford Mondeo (este uma perua de 1998, escala 1:43), que fez muito sucesso no Brasil, a partir de 1995

 

 

 

Contato

MINIFORD - A Ford em miniatura Belo Horizonte, MG
Brasil
(31) 98641-6600

Twitter: www.twitter.com/ovalazul

fordminiatura@gmail.com